Notícias

02 junho, 2017 Novo titular da SEMDE de Macaíba fala sobre a pasta e novos planos

Antes de falar sobre os novos planos, o secretário Luizinho destacou que vai dar continuidade aos trabalhos que já vinham sendo desenvolvidos

O novo titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SEMDE) de Macaíba, Luiz Gonzaga Soares (Luizinho), tem diversos planos para a sua pasta, juntamente com a equipe de governo municipal, além de destacar que vai dar continuidade aos trabalhos que já vinham sendo desenvolvidos por seus antecessores, Auri Simplício e Aristela Tatiany. Planos que entrarão para o próximo Plano Plurianual a ser aprovado ainda neste ano pela Câmara e sancionado pelo prefeito, assim como para a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e o Orçamento Anual.

“A SEMDE já vem desenvolvendo vários trabalhos no município através de meus antecessores, que, inclusive, foram por mim mencionados na Audiência Pública realizada nesta semana na Câmara. A Secretaria buscou, ao longo desse tempo, parcerias com outros órgãos, entidades governamentais e não governamentais, e também com as empresas que já estão instaladas aqui em Macaíba, sempre procurando uma administração criativa voltada para o desenvolvimento econômico do município. Esta é a nossa visão e também a visão da gestão do prefeito Fernando Cunha”, referiu o secretário.

“Quando cheguei aqui, já tinha também a ideia da construção do Plano Municipal de Desenvolvimento Econômico e nós vamos dar continuidade a esse plano, que brevemente deve ser aprovado na Câmara para que tenhamos uma modernização da politica econômica municipal, levando em conta as políticas do Governo Federal, dos estados e dos municípios. Ainda pretendemos implantar o Guia do Investidor Macaibense. Precisamos junto ao SEBRAE ter um agente de desenvolvimento através dessa parceria para trazer novos conhecimentos aos empresários e comerciantes macaibenses”, completou.

Parcerias

Além do SEBRAE, Luiz Gonzaga Soares ressaltou que vai continuar a buscar parcerias com o SESC, o SENAI e o SENAC para que o município possa oferecer novos serviços à população, tanto no diz respeito ao conhecimento empresarial quanto à capacitação de pessoas para inseri-las no mercado de trabalho das empresas já existentes e das novas que poderão se instalar. “Temos que implantar o Conselho Municipal Estratégico de Desenvolvimento da Economia Local, que é de suma importância, que terá representantes da Prefeitura e da Câmara de Vereadores, empresários, comerciantes e vários outros segmentos sociais civis organizados da sociedade de Macaíba”, destacou.

“Outro ponto que já vinha sendo pensado aqui na pasta que vamos dar continuidade é a Feira do Desenvolvimento da Economia de Macaíba, que, inclusive, pretendemos realizar ainda neste ano de 2017. Será uma feira das indústrias e do comércio local para mostrar à população tudo aquilo que o município produz”, disse na sequência o secretário Luizinho.

Criação de um fundo municipal de desenvolvimento

“É preciso criar o Fundo Municipal de Desenvolvimento, para termos recursos para gerenciar os trabalhos que pretendemos desenvolver. Precisamos colocar esses planos em prática o mais rápido possível, pois hoje em dia a competitividade é muito grande. E Macaíba precisa ser cada vez mais competitiva, pois já tem a sua origem ligada ao comércio, ou seja, um município que já nasceu voltado para o comércio e para a indústria”, declarou.

Potencialidades de Macaíba e perspectivas futuras

Macaíba é uma referência estadual, devido à sua localização estratégica, próxima do novo aeroporto internacional do estado, com água de boa qualidade, podemos ser um dos principais municípios do Nordeste, assim como já somos do Rio Grande do Norte. Estamos visitando as empresas e dialogando com a classe empresarial, buscando saber como melhor incentivá-las a manter sua produção e geração de empregos para o município. Já existe uma lei municipal para as empresas que estão instaladas e para as que possivelmente queiram se instalar, a qual prescreve que sejam isentos dos tributos municipais por 10 ou 15 anos, dependendo do modelo de empresa. Além disso, nossa legislação (Lei nº 1105, de 19 de novembro de 2003) dispõe que a empresa que aqui se instalar deve ter no mínimo 60% por cento de seus empregados oriundos de Macaíba. É aí que entra a questão da qualificação.

Por isso, estamos buscando as parcerias com o SEBRAE, SESC, SENAI, SENAC, Fecomércio, Casa do Empresário, FIERN, Secretaria do Desenvolvimento Econômico do RN e escolas de capacitação profissional, citando como exemplo a Escola Agrícola de Jundiaí, que são instituições primordiais para a capacitação dessas pessoas. Capacitação essa que tem que estar de acordo com as empresas instaladas e que vão se instalar na nossa região. Destaco que esse é um trabalho que já vinha sendo feito pela SEMDE e vamos continuar. As empresas que estão instaladas aqui sempre tiveram uma boa relação com a SEMDE, seja com o então secretário Auri, seja com a então secretária Aristela.

Na próxima segunda-feira (05), estaremos no SEBRAE com o prefeito Fernando Cunha para que a gente discuta com o superintendente e com o diretor técnico da instituição sobre uma possível central do empreendedor em Macaíba para fazer com que os jovens de modo geral possam compreender que precisam não só se capacitar, mas também procurarem ter seu próprio negócio. Esse é o pensamento da gestão municipal. No dia 06, vamos ter uma reunião sobre a implantação de um outlet na cidade, inclusive o empresário Abílio Félix, idealizador do empreendimento estará na Câmara Municipal no dia 13 explanando sobre o assunto.

“Atualmente, existem cerca de 60 indústrias instaladas no município. Estamos abertos para receber sugestões”, ressaltou Luizinho, que finaliza pontuando que há necessidade de se pensar na interiorização das indústrias.

Texto: Andry Morais

Foto: ASSECOM-CMM

LOCALIZAÇÃO